Presidente troca de agência em busca de sucesso na internet

*Texto extraído da coluna semanal do nosso diretor Ednelson Prado no portal Meon

Semana passada falei que abordaria aqui a questão das troca de favores políticos que resultam em pessoas ocupando cargos nas Secretarias de Comunicação sem terem qualificação para isso. No entanto, esse tema ficará para outro dia. Comunicação é algo muito dinâmico e temos de acompanhar seu ritmo. E É isso que faremos hoje.

Todos se recordam que no último texto, abordei aqui a situação do prefeito de São Paulo e o uso que ele faz das redes sociais. Fiz alguns comentários, algumas afirmações, apresentei minhas convicções. Pois bem, eis que nessa sexta-feira, dia 28, me deparei com uma informação que me chamou muito a atenção.

A página oficial do Estadão no Facebook trouxe que o presidente Michel Temer vai trocar a agência que cuida de sua comunicação digital.

Ocorre que a empresa que deixará de realizar o trabalho é de Daniel Braga, o marqueteiro digital de João Dória. Uma notícia bastante interessante, que merece uma reflexão e que corrobora alguns pontos que levantei semana passada.

Afinal, se a agência é a mesma e se Dória é um sucesso positivo nas redes sociais, por quais razões Temer não o é, também?

Em primeiro lugar, como disse antes, uma boa comunicação nem sempre salva um mau governo. E vamos combinar que a rejeição do presidente, que atingiu patamares nunca antes visto na história deste país, ou desde que esse tipo de avaliação se iniciou, é reflexo de um governo que se distancia dos anseios da população. Logo, não tem comunicação bem feita que salve. E olha que nem isso tem ocorrido. O trabalho de comunicação fica bem aquém do que seria preciso para minimizar os desgastes de ações políticas tão traumáticas quanto as tomadas pelo nosso chefe maior. Isso sem contar os escândalos nos quais está envolvido.

Segundo que, assim como também já falei por aqui, se quer sucesso como o Dória, trabalhe e aja como ele. Agora, dá pra imaginar o presidente vestido de gari? Claro que não.

Não estou dizendo que coisas do tipo fossem necessárias, mas ações práticas, que contassem com um pouco da presença do presidente nas redes talvez ajudasse. Claro que o presidente é uma pessoa ocupada, mas se quer sucesso, precisa participar, estar presente. Mesmo no caso do presidente, não acredito em terceirização total dos serviços.

O exemplo mais claro e óbvio do que digo é o ex-presidente americano Barack Obama. Apesar de todas as suas atribuições, ele era participante das ações digitais. Ele se fazia presente, ele rompia a barreira da distância com os cidadãos.

Não há fórmula mágica, como já disse, há trabalho.

Então, não adianta trocar a agência se não houver mudanças significativas: primeiro de governo. Ele precisa ser mais próximo do povo e menos dos interesses privados e parlamentares. Segundo, de postura: quer se dar bem nas redes sociais, participe delas de forma real, não apenas protocolar.

Pode até ser que a troca traga algo novo no começo, mas se ele não participar, com certeza, vai se perder ainda mais.

Adicionar comentário

Seu e-mail não será publicado.

Videos

Em 2015 os vídeos online corresponderam a 57% do tráfego de internet, sendo o equivalente a quase 4x o tráfego de buscas e e-mail juntos. Até 2017, esse número tende a aumentar para 67%. Nossos vídeos são atrativos aos internautas e com diferencial para sua campanha eleitoral.

Sites e blogs

Com a legislação em vigor, a campanha eleitoral em 2016 será mais curta. Com isso, ganha ainda mais importância o período de pré-campanha. Sendo assim, sua presença na internet deve ocorrer o quanto antes, e sites e blogs são uma grande oportunidade de estar junto ao eleitor. Para que não haja qualquer questionamento quanto a uma possível campanha antecipada, trabalhamos a questão da identidade visual em acordo com a legislação, para que o candidato possa produzir seu conteúdo e dialogar com seu público sem qualquer preocupação.

Apps

Brasileiros com internet no smartphone já são mais de 70 milhões, não há como ignorar o mobile na sua campanha eleitoral! Provemos a melhor experiência ao usuário, criando aplicativos que de fato facilitam a vida dele. Realizamos desde o planejamento do app à sua publicação na App Store ou Google Play.

Planejamento de campanha eleitoral na internet

Uma campanha eleitoral na internet considera a integração total das várias frentes com as quais o candidato irá trabalhar. Além disso, o foco está no eleitor e sua relação direta com ele. É preciso objetivos bem definidos e estratégias assertivas e eficazes, que promovam a aproximação, o diálogo e a conversão do voto. Realizamos o planejamento a partir de pesquisas bem elaboradas, identificação de público, definição de canais a serem utilizados, metas a serem alcançadas e métricas.

Redes Sociais

De nada adianta estar nas redes sociais se a presença ocorrer da maneira errada. Redes Sociais são feitas para dialogar e é isso que o eleitor espera. Por isso, trabalhamos com a identificação das redes que possuem maior relação junto ao eleitor, considerando aspectos locais e culturais. Formatamos os canais, e gerenciamos essas redes produzindo conteúdo adequado e, principalmente, promovendo o diálogo com o eleitor, proporcionando uma aproximação que resulte na conversão do voto.

Produção de conteúdo para redes sociais

A produção de conteúdo considera aquilo que o internauta busca encontrar, sejam informações a respeito do candidato, suas propostas, ou aquelas que o auxiliem em alguma necessidade que vai além do aspecto eleitoral. Produzir conteúdo é atender a expectativa do internauta, entender suas necessidades e entregar o que ele procura. Ao fazer isso, damos um passo importante para ser um aliado, uma fonte segura de informações, o que contribui para a aproximação e posterior engajamento.

Monitoramento em Redes Sociais

Para isso, definimos palavras chave e parâmetros que nos permitam saber, extamente, o que o eleitor está falando a respeito do candidato na rede. Além disso, por meio do monitoramento, é possível saber como os adversários se comportam na rede e como eles também são percebidos e descritos pelo internauta. Os dados levantados podem ser importantes aliados na definição de estratégias, ações e tomada de decisões quanto ao rumo da campanha.

Gerenciamento de Crise em Redes Sociais

O melhor em relação a uma crise, é evitá-la. Agora, se nào foi possível, o importante é agir da forma correta. Saber que momento é esse, e quais medidas adotar, é uma tarefa para profissionais. A Vincere está capacitada para atender seus clientes nos momentos mais difíceis, com eficácia e precisão. Saber o que falar e quando falar fazem toda a diferença. Por isso, gerenciar crise é algo que prcisa ser feito por quem sabe como analisar a situação com isenção, frieza e clareza, para que as decisões tomadas sejam assertivas e ponham um fim ao problema.

Consultoria Digital

Na consultoria, avaliamos, periódicamente, o trabalho realizado pelo cliente no uso das redes sociais durante sua campanha, e realizamos orientações e ajustes necessários para que ele melhore sua perfomance na internet e, principalmente, o relacionamento com o seu eleitor.

Cursos e treinamentos

– Treinamento em Comunicação Digital

 

Capacitação de equipe para atuar com comunicação digital, a partir dos princípios básicos de conceitos e produção. A partir dele, será possível efetuar planejamento e promover o gerenciamento de ações no ambiente digital.

 

– Marketing Político Digital

Neste curso, discutimos os princípios do marketing político e como o ambiente digital se tornou um grande aliado das estratégias das campanhas eleitorais. Nele, trabalhamos o comportamento do eleitor, as ferramentas que podem ser utilizadas e, principalmente, a força do relacionamento.

 

– O uso de redes sociais em prol dos mandatos

 

Elas são, sem dúvidas, grandes aliadas, se trabalhadas da forma correta. Sua utilização deve considerar a importância da produção de conteúdo adequada e a força do relacionamento como forma de aproximar o poder público do cidadão.

 

– Gerenciamento de crises em redes sociais para agentes políticos, prefeituras e câmaras

 

Uma das situações mais vivenciadas pelos agentes políticos – com mandatos, principalmente – por prefeituras e câmaras é a crise. Elas surgem a todo momento, e pelos mais variados motivos. Entender sua origem e, fundamentalmente, gerenciá-la é o primeiro passo para transformar situações adversas em fatores positivos.